Tribunal declara ex-sócio de advogado de Trump culpado por financiamento ilegal de campanha

Os promotores também acusaram Parnas de mascarar contribuições para campanhas republicanas no estado de Nevada

Apoiadores de Donald Trump protestam em Miami após Joe Biden ser declarado o vencedor das eleições. Foto: CHANDAN KHANNA / AFP

Apoiadores de Donald Trump protestam em Miami após Joe Biden ser declarado o vencedor das eleições. Foto: CHANDAN KHANNA / AFP

Mundo

Lev Parnas, antigo sócio de Rudy Giuliani, ex-advogado de Donald Trump, foi declarado culpado em um tribunal federal dos Estados Unidos nesta sexta-feira 22, por ter violado as leis de financiamento de campanha na eleição de 2018.

Parnas, cidadão americano nascido na Ucrânia soviética, foi preso em um aeroporto de Washington em outubro de 2019, quando Trump e seus sócios, entre eles Giuliani, enfrentavam um escrutínio por suas tentativas de pressionar autoridades em Kiev a revelar informações comprometedoras sobre Joe Biden.

De terno cinza, Lev Parnas caminha rumo ao tribunal.
Foto: David Dee Delgado/GETTY IMAGES NORTH AMERICA/Getty Images via AFP

Essa investigação levou ao primeiro processo de impeachment contra Trump, concluído com a sua absolvição pelo Senado, controlado pelos republicanos. Nesta sexta-feira, um júri federal em um tribunal de Manhattan determinou que Parnas e seu parceiro Andrey Kukushkin “conspiraram para manipular o sistema político dos Estados Unidos em seu próprio benefício econômico”, segundo um comunicado dos promotores.

“Para ganhar influência com os políticos e candidatos americanos, eles canalizaram ilegalmente dinheiro estrangeiro para as eleições de meio de mandato de 2018, com o objetivo de obter enormes lucros no negócio da cannabis.”

Parnas, que se declarou inocente, foi acusado de esconder a verdadeira origem das contribuições que fez a candidatos nas eleições locais e federais de 2018, incluindo uma doação de 325 mil dólares à America First Action, organização política que apoia Trump.

Os promotores também acusaram Parnas de mascarar como suas algumas das contribuições para campanhas republicanas no estado de Nevada feitas por um empresário russo, violando a proibição de aceitar financiamento eleitoral de cidadãos estrangeiros.

Parnas e Kukushkin permaneceram em liberdade nesta sexta-feira, aguardando o anúncio da sentença.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem