Mundo

Talebans atacam braço local do Estado Islâmico no sul do Afeganistão

O Estado Islâmico é hoje a principal ameaça ao governo taleban, que tende a minimizar sua influência

Tropas talebans rondam Cabul

Aamir QURESHI / AFP
Tropas talebans rondam Cabul Aamir QURESHI / AFP

Os talebans lançaram ataques, nesta segunda-feira 15, contra supostos esconderijos do braço local do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) na província de Kandahar, no sul do Afeganistão – informaram fontes policiais.

A operação contra o grupo jihadista Estado Islâmico-Khorasan (ISIS-K) começou por volta da meia-noite em quatro distritos da província e continuou pela manhã, disse à AFP o chefe taleban da polícia provincial, Abdul Ghafar Mohammadi.

“Quatro combatentes do Daesh (acrônimo do EI em árabe) foram mortos, e dez, detidos, até agora (…) Um deles se fez explodir em uma casa”, relatou.

Um membro dos serviços de Inteligência taleban, que pediu para não ser identificado, disse à AFP que pelo menos três civis perderam a vida.

Desde seu retorno ao poder no Afeganistão, em 15 de agosto, quando prometeu trazer estabilidade ao país após anos de guerra, o Taleban enfrenta uma onda de atentados do ISIS-K.

O grupo é particularmente ativo no entorno da cidade de Jalalabad (leste), um de seus antigos redutos, onde atacou os talibãs em várias ocasiões.

O ISIS-K também atacou a minoria xiita em Kunduz (nordeste), em Cabul e na cidade de Kandahar. Nesta última, um atentado a uma de suas mesquitas deixou pelo menos 60 mortos.

O grupo experimenta um novo impulso nos últimos meses, depois de ter sido enfraquecido em 2019 por operações do Exército afegão, apoiado pelas tropas americanas.

Islâmico sunita, assim como o Taleban, o ISIS-K é ainda mais radical e promove uma “jihad global”. É, hoje, a principal ameaça ao governo taleban, que tende a minimizar sua influência.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!