Mundo

Polônia vai construir muro na fronteira com Belarus

A previsão é que as obras estejam concluídas no primeiro semestre de 2022

Fronteira entre Polônia e Belarus. Foto: Leonid SHCHEGLOV/BELTA/AFP
Fronteira entre Polônia e Belarus. Foto: Leonid SHCHEGLOV/BELTA/AFP

Os países da União Europeia (UE) devem adotar novas sanções contra Belarus “nos próximos dias”, em meio à crise migratória nas fronteiras orientais do bloco – afirmou o chefe da diplomacia europeia, Josep Borrell, nesta segunda-feira 15.

De acordo com o diplomata, o novo pacote de sanções incluirá “um número significativo” de cidadãos e de empresas bielorrussas por “facilitarem a passagem ilegal de fronteiras para a UE”.

Já a Polônia começará a construção, ainda este ano, de um muro em sua fronteira com Belarus, anunciou o ministro polonês do Interior, Mariusz Kaminski, em um comunicado divulgado nesta segunda-feira.

O Parlamento autorizou a obra no mês passado.

É uma obra “absolutamente estratégica e um investimento prioritário para a segurança do país e de seus cidadãos”, justificou.

De acordo com o ministro Kaminski, os contratos serão assinados em 15 de dezembro, e a construção do muro fronteiriço começará no final do referido mês. Vai-se trabalhar 24 horas por dia.

A previsão é que as obras estejam concluídas no primeiro semestre de 2022.

O muro custará 353 milhões de euros (em torno de 407 milhões de dólares) e terá 180 quilômetros de extensão, quase a metade da fronteira comum.

Milhares de imigrantes, principalmente do Oriente Médio, cruzaram, ou tentaram cruzar, a fronteira entre Polônia e Belarus a partir deste verão (inverno no Brasil).

A Polónia respondeu ao fluxo de migrantes enviando milhares de soldados para a fronteira, onde implementou um estado de emergência bastante criticado.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!