Petição anti-Brexit ultrapassa 6 milhões de assinaturas

Petição anti-Brexit ultrapassa 6 milhões de assinaturas

Mundo

A petição lançada na Internet que pede o cancelamento do Brexit ultrapassou 6 milhões de assinaturas neste domingo 31, tornando-se a iniciativa popular mais votada no Reino Unido. De acordo com os regulamentos vigentes, a petição será debatida na segunda-feira pelos deputados britânicos, num ato meramente simbólico, pois não haverá votação.

Em sua resposta recente aos signatários, o Executivo britânico já assinalou que não tem intenção de cancelar a ativação do Artigo 50 do Tratado de Lisboa, que em 29 de março de 2017 deu início às negociações com Bruxelas para a saída do Reino Unido da União Europeia. “Honraremos o resultado do referendo de 2016 e trabalharemos com o Parlamento para aprovar um acordo que garanta a saída da UE”, prosseguiu Londres, alegando que a revogação do artigo “enfraqueceria a democracia”.

Leia também: Brexit: acordo que pode gerar renúncia de May é votado no Parlamento

No auge do interesse dos cidadãos, a iniciativa no site do governo e do Parlamento britânico chegou a atrair 2 mil assinaturas por minuto. O maior pico ocorreu depois do muito criticado discurso em que a primeira-ministra Theresa May culpou os deputados pelo fracasso do acordo proposto por ela na Câmara dos Comuns, em 20 de março.

Leia também: Os desafios da esquerda no Reino Unido

A petição foi promovida no fim de fevereiro pela ex-professora universitária britânica Margaret Anne Georgiadou, que tanto já sofreu ameaças de morte, como foi supostamente vítima de hackers, que postaram em sua conta do Facebook ameaças de matar May a tiros “em nome do patriotismo”.

O Reino Unido deveria ter deixado o bloco europeu na última sexta-feira, mas optou por solicitar uma prorrogação do prazo, devido à não aprovação parlamentar de um acordo de separação. May planeja submeter sua proposta a votação pela quarta vez nesta semana, enquanto os deputados tentarão chegar ao consenso através de uma via alternativa, na segunda-feira. Uma petição que pedia um segundo referendo, após a vitória do Brexit em 23 de junho de 2016, reuniu 4,2 milhões de assinaturas.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.

Compartilhar postagem