Mundo

Peru decreta estado de emergência em meio a protestos

A medida, tomada na semana seguinte à destituição de Pedro Castillo, valerá em todo o país por 30 dias

As manifestações crescem desde o domingo em várias cidades do norte e do sul do Peru. Foto: Diego Ramos / AFP
Apoie Siga-nos no

O novo governo do Peru decretou, nesta quarta-feira 14, estado de emergência em todo o país por 30 dias, com o objetivo de conter as violentas manifestações que exigem eleições gerais imediatas e a libertação do presidente deposto Pedro Castillo.

Na terça 13, a Sala Penal Permanente da Suprema Corte peruana, uma das nove turmas do Judiciário do país, rechaçou a apelação de Castillo que pedia a anulação de sua “detenção preliminar”, uma espécie de prisão cautelar, pelos crimes de rebelião e conspiração.

Castillo está preso desde a quarta 7, quando tentou, sem sucesso, instaurar um “governo de exceção”. O seu comunicado foi ignorado pelo Congresso, que aprovou o impeachment no mesmo dia.

“Ficou acordado declarar estado de emergência para todo o país, devido ao vandalismo e à violência, à tomada de estradas e vias, que estão sendo controlados pela Polícia Nacional e pelas Forças Armadas”, anunciou nesta quarta o ministro da Defesa, Alberto Otárola.

Na segunda 12, Castillo chegou a chamar sua ex-vice, agora presidenta, Dina Boluarte, de “usurpadora”. Em nota, ele disse que ainda se reconhece como presidente do país e que não pretende renunciar.

(Com informações da AFP)

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.