Oposição forma maioria anti-Netanyahu e Israel pode mudar de primeiro-ministro após 12 anos

Minutos antes do prazo-limite, o chefe da oposição, Yair Lapid, informou ter conseguido apoio para formar um novo governo

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Foto: GIL COHEN-MAGEN/AFP

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Foto: GIL COHEN-MAGEN/AFP

Mundo

Após uma longa e difícil negociação entre grupos rivais, os partidos israelenses de oposição anunciaram nesta quarta-feira 2 ter montado uma frente ampla majoritária para derrotar Benyamin “Bibi” Netanyahu e colocar fim a seus 12 anos de governo.

Poucos minutos antes do prazo-limite, o chefe da oposição israelense, Yair Lapid, informou o presidente Reuven Rivlin ter conseguido apoio para formar um novo governo.

“Eu me comprometo com o senhor presidente que este governo vai trabalhar para servir a todos os cidadãos de Israel, inclusive os que não são membros dele, vai respeitar aqueles que fizerem oposição e fará tudo o que puder para unir todas as partes da sociedade de Israel”, afirmou o centrista em uma carta ao presidente.

Para conseguir os 61 votos necessários, o centrista Yair Lapid reuniu grupos cujo único interesse em comum é o de tirar Bibi Netanyahu do poder. A aliança de conveniência tem o apoio de grupos tão diversos quanto a extrema-direita do partido Yamina, de Naftali Bennett, e um partido árabe israelense Raam, de Mansour Abbas.

Lapid e o ultranacionalista Bennett concordaram em unir suas forças e revezar o posto de primeiro-ministro, começando por um mandato de Bennett.

 

Alianças sob ameaça

Nos últimos dias, a pressão foi grande para evitar este acordo histórico. Representantes do partido Yamina foram classificados como “traidores” e sofreram ameaças de morte. O Knesset (Parlamento israelense) teve que reforçar a segurança de Bennett e de outro deputado ultranacionalista.

Os próximos dias não devem ser mais calmos. Para tirar Netanyahu do poder, a aliança precisará ser aprovada pelo Parlamento (Knesset), em uma votação esperada para acontecer na próxima semana.

 

Quinze anos no poder

Aos 71 anos, Netanyahu é o primeiro-ministro que governou Israel por mais tempo. Ele esteve à frente do poder entre 1996 e 1999 e voltou ao posto dez anos mais tarde, onde está desde então.

Julgado por “corrupção” em três casos, ele é o primeiro chefe de Governo israelense que enfrenta processos penais durante seu mandato. Caso perca a imunidade garantida por sua condição de primeiro-ministro, as ações podem levá-lo a uma punição.

Um motivo a mais para que o conservador continue sua luta para convencer legisladores a abandonarem a frente de oposição até a próxima semana.

Se a frente ampla fracassar, os israelenses terão de voltar às urnas pela quinta vez em dois anos.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem