Mundo

Filho de Biden vai declarar inocência em processo por posse de arma

Se for considerado culpado, Hunter Biden pode, em tese, ser condenado a até 25 anos de prisão

Joe Biden e seu filho, Hunter Biden. Foto: Andrew Caballero-Reynolds / AFP
Apoie Siga-nos no

Hunter Biden, filho do presidente dos Estados Unidos Joe Biden, se declarará inocente de posse ilegal de arma ao comparecer nesta terça-feira (3) a um tribunal federal de Delaware.

Aos 53 anos, Hunter Biden enfrenta três acusações pela compra em 2018 de um revólver Colt Cobra calibre 38.

Ele é alvo de duas acusações por supostamente mentir ao declarar que não utilizava drogas ilícitas nos formulários que preencheu para comprar a arma.

E recebeu uma terceira acusação por posse ilegal de arma, que manteve durante 11 dias em outubro de 2018, antes de se livrar do revólver.

O advogado do filho do presidente, Abbe Lowell, informou ao tribunal que Hunter Biden se declarará inocente após a leitura das acusações às 10H00 (11H00 de Brasília) em um tribunal federal de Wilmington, a cidade da família Biden.

Lowell solicitou ao juiz Christopher Burke autorização para que Hunter Biden, morador da Califórnia, participasse na audiência por videoconferência, mas o pedido foi negado.

“O acusado não deve receber nenhum tratamento especial nesta questão”, afirmou Burke.

Em julho, o réu chegou a um acordo com o procurador federal David Weiss sobre as acusações de fraude fiscal e de posse de arma para evitar a possibilidade de prisão, mas o juiz expressou ceticismo sobre alguns termos e o acordo não foi concretizado.

Se for considerado culpado, Hunter Biden pode, em tese, ser condenado a até 25 anos de prisão, mas na prática este tipo de crime, se não for acompanhado por outras acusações, não costuma ser punido com sentenças de prisão.

Possível fraude fiscal

Weiss, que foi promovido a procurador especial para a investigação de Biden depois que o acordo judicial fracassou, disse que também está investigando Hunter por possível fraude fiscal.

Os republicanos atacam Hunter Biden por negócios realizados na Ucrânia e China quando seu pai era vice-presidente de Barack Obama (2009-2017).

O presidente da Câmara de Representantes, Kevin McCarthy, cedeu às pressões da ala radical do Partido Republicano e autorizou, no mês passado, a abertura de um inquérito de impeachment do presidente Joe Biden.

Mas Hunter Biden não foi acusado de nenhum crime vinculado a seus negócios no exterior e, até o momento, não foram apresentadas provas que demonstrem o envolvimento do presidente em algo ilegal.

Hunter Biden é advogado formado na renomada Universidade de Yale e que se tornou artista. Ele já admitiu que enfrentou dependência de álcool e crack, problemas que vincula ao acidente de trânsito que matou sua mãe e a irmã quando tinha apenas três anos – ele foi hospitalizado com uma fratura no crânio.

Também viveu à sombra de seu irmão Beau, que teve uma carreira militar brilhante e se dedicou à política até sua morte, vítima de câncer cerebral, em 2015.

O presidente Biden, 80 anos, sempre apoiou o filho em suas batalhas pessoais e jurídicas.

Em uma entrevista no início do ano, ele disse que Hunter “não fez nada errado”. “Confio nele. Tenho fé nele”, afirmou.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo