Donald Trump é formalmente acusado por abuso de poder e obstrução

No Twitter, Trump se defendeu, chamou as novas acusações de 'ridículas' e disse que está sendo vítima de uma 'caça às bruxas'

Presidente americano Donald Trump.
Johannes EISELE / AFP

Presidente americano Donald Trump. Johannes EISELE / AFP

Mundo

Os democratas da Câmara dos Representantes nos Estados Unidos anunciaram nesta terça-feira 10 que acusarão formalmente o presidente Donald Trump por abuso de poder e obstrução da justiça, o que agora será votado pelo plenário como parte do julgamento político. Caso a Câmara vote a favor do impeachment, o atual presidente norte-americano se tornará o terceiro a ser submetido a um julgamento político na história dos Estados Unidos.

Jerry Nadler, presidente do Comitê Judiciário da Câmara dos Representantes, afirmou em entrevista coletiva que “quando o presidente trai a confiança e se coloca à frente do país, ele põe em risco a constituição e a democracia e põe em risco a segurança nacional”.

Os democratas acusam Trump de ter enviado ajuda militar a Ucrânia para frear os separatistas pró Rússia, além de ter concedido ao presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, uma visita à Casa Branca em troca do país abrir uma investigação de corrupção contra Joe Biden, potencial oponente de Trump nas eleições norte-americanas de 2020.

Adam Schiff, que chefia o Comitê de Inteligência da Câmara, disse que os abusos de poder por parte do presidente não deixavam outra escolha senão a  abertura do processo político: “As evidências sobre o comportamento do presidente são esmagadoras e incontestáveis”, afirmou.

Nadler disse que o Comitê Judiciário da Câmara se reunirá nesta semana para considerar as acusações apresentadas e espera-se que elas sejam levadas ao plenário na próxima semana. O início oficial do processo de impeachment no Senado aconteceria em janeiro de 2020.

Donald Trump foi ao Twitter defender-se das novas acusações, chamando-as de “ridículas”, além de voltar a afirmar que está sendo vítima de uma “caça às bruxas”.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Agência de notícias francesa, uma das maiores do mundo. Fundada em 1835, como Agência Havas.

Compartilhar postagem