Mundo

‘Covardes’, diz Trump sobre políticos que escondem status vacinal contra a Covid

A declaração é interpretada como crítica ao governador da Flórida, Ron DeSantis; no Brasil, Bolsonaro impôs sigilo ao cartão de vacinação

Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos. Foto: Mandel Ngan/AFP
Donald Trump, ex-presidente dos Estados Unidos. Foto: Mandel Ngan/AFP

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump criticou políticos que se recusam a divulgar publicamente quantas doses de vacina contra a Covid-19 receberam. Ele concedeu entrevista ao canal de extrema-direita One America News.

Trump, que informou em dezembro ter recebido uma dose de reforço, classificou como “covardes” os que não detalham o status vacinal.

“Eu assisti a alguns políticos sendo entrevistados e uma das perguntas foi ‘você tomou o reforço?’, porque haviam tomado a vacina, e eles estavam respondendo como – em outras palavras, a resposta era ‘sim’, mas não querem dizer, porque são covardes”, afirmou o extremista de direita. “Você tem de dizer se tomou ou não.”

As declarações de Trump foram interpretadas nos Estados Unidos como uma crítica ao governador da Flórida, Ron DeSantis. Em entrevista à Fox em dezembro, o republicano afirmou que “fez o que fez, a vacinação normal”, quando questionado sobre ter recebido a 3ª dose.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro – aliado e fã declarado de Trump – diz publicamente não ter se vacinado contra a Covid-19. Não há, no entanto, como confirmar a veracidade da declaração, já que a Presidência da República decretou sigilo de 100 anos ao cartão de vacinação do ex-capitão.

Em agosto do ano passado, durante entrevista a uma rádio de Natal (RN), Bolsonaro disse que as informações são “pessoais”.

“Eu vou entregar a minha carteira de vacina? Daqui a pouco vou entregar coisas pessoais se eu não negar isso daí. Então, não tem nada de esquisito, nada de anormal no que foi feito. A minha caderneta de vacina é pessoal e ponto final”, alegou.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!