Mundo

assine e leia

Briga na lama

Joe Biden adere ao estilo de insultos e provocações de Donald Trump

MMA. A equipe do atual presidente decidiu descer ao nível do adversário. Para o republicano, vale tudo na eleição – Imagem: Gage Skidmore e Brendan Smialowski/AFP
Apoie Siga-nos no

Com uma das eleições mais importantes da história dos Estados Unidos em novembro próximo, seria compreensível que Donald Trump e Joe Biden recorressem a uma retórica elevada e digna, que tentassem igualar os nobres ideais de George ­Washington, Thomas Jefferson e o resto dos pais fundadores da nação.

Os eleitores norte-americanos, e a classe política, estão habituados há muito tempo com a retórica carregada de insultos e muitas vezes grosseira de Trump. “Tudo o que Joe Biden toca vira merda”, disse o republicano na Geórgia, no início deste mês, durante um comício no qual também zombou da gagueira do adversário. Recentemente, Biden e sua equipe de campanha parecem, no entanto, ter decidido combater fogo com fogo, depois de, anteriormente, terem procurado manter-se acima da briga. É uma mudança que parece aceitar que Trump mudou os padrões da política norte-americana e que é mais eficaz abraçar essa ideia do que permanecer fora da luta.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo