Carles Puigdemont é libertado após protestos de separatistas em Barcelona

O ex-presidente da Catalunha continua sendo processado por Madri por seu papel na tentativa de secessão de 2017

Puigdemont em Barcelona

Puigdemont em Barcelona

Mundo

Carles Puigdemont foi preso na noite da quinta-feira 23 ao chegar à Sardenha, na Itália. A prisão irritou os separatistas catalães na Espanha. Em frente ao consulado italiano, alguns deles expressaram sua raiva esta sexta-feira (24). Puigdemont foi libertado na sequência, ao longo da tarde, mas deve comparecer novamente à justiça italiana em 4 de outubro.

 

 

As reações não demoraram a acontecer na Catalunha, apesar da hora tardia de quinta-feira, pouco antes das 23 horas, quando a população tomou conhecimento da prisão de Carles Puigdemont.

Os separatistas, surpresos e indignados, convocaram manifestações na manhã desta sexta-feira 24, em frente ao consulado italiano em Barcelona, ​​que desde então está protegido pela polícia catalã.

Desde cedo, algumas centenas de ativistas catalães pela independência se reuniram pacificamente. Eles exigem a libertação do ex-presidente catalão. Segundo eles e a equipe jurídica da Puigdemont, esta detenção é ilegal porque o mandado de detenção europeu está suspenso pelos tribunais do bloco.

Carles Puigdemont foi libertado, mas tem um encontro com a justiça italiana em 4 de outubro.

Na tarde desta sexta-feira, Carles Puigdemont compareceu por videoconferência diante de um juiz italiano no tribunal de Sassari. No final desta reunião, seu advogado discursou em frente ao prédio do tribunal e anunciou a libertação, durante o dia, do ex-presidente regional pró-independência da Catalunha.

O eurodeputado saiu da prisão no final do dia e não falou com a imprensa. Segundo seu advogado Agostinangelo Marras, Carles Puigdemont recebeu autorização para deixar o país, embora se cogitasse que fosse forçado a permanecer na Sardenha enquanto esperava que a justiça italiana se pronunciasse sobre sua extradição, solicitada por Madri.

O líder separatista pretende estar presente no dia 4 de outubro em sua próxima audiência perante a justiça italiana, especificou seu advogado.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Rádio pública francesa que produz conteúdo em 18 línguas, inclusive português. Fundada em 1931, em Paris.

Compartilhar postagem