Mundo

Candidato à presidência do Uruguai elogia Lula e defende sua liberdade

Daniel Martínez, favorito para o cargo, disse ter sintonia com Lula, mas quer manter uma boa relação diplomática com Bolsonaro

O candidato presidencial à coalizão de esquerda do Uruguai Frente Amplio, Daniel Martinez, vota em Montevidéu. Foto: Eitan ABRAMOVICH / AFP
Apoie Siga-nos no

O candidato de centro-esquerda do Uruguai, o integrante do partido Frente Ampla Daniel Martínez elogiou o ex-presidente Lula e defendeu a liberdade do petista. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira 4, ele afirmou ter uma profunda sintonia com o ex-presidente.

“Lula tirou milhões de brasileiros da pobreza e criou possibilidades para coletividades historicamente esquecidas, o que me causa uma grande admiração e uma profunda sintonia com Lula”, disse Martínez, que está em primeiro lugar nas pesquisas.

 

Sobre a prisão do ex-presidente, Martínez a classificou como política ao analisar a ida de Sérgio Moro para o governo de Jair Bolsonaro. “Como ficou demonstrado pelos áudios [divulgados pelo site The Intercept Brasil em parceria com outros veículos], o juiz que o inculpou e sua equipe atuaram com intenção política para impedir que ele se candidatasse às eleições”, afirmou.

Sobre Jair Bolsonaro, Martínez disse que não tem contato com o pesselista, mas caso vença a eleição, tentará manter boas relações com o ex-capitão. “No caso de ser eleito presidente do Uruguai, buscarei o melhor entendimento entre os dois governos para melhorar a qualidade de vida de uruguaios e brasileiros”, ressaltou.

E o candidato seguiu o tom conciliador ao se referir à Venezuela. Diferente do seu partido, Martinéz já se pronunciou contra Nicolás Maduro, mas disse que vai prevalecer o diálogo sempre. “Manterei a posição defendida por nossa chancelaria em consonância com outros países, especialmente europeus: o caminho do diálogo, nunca o do uso da força”, disse.

No dia 23 de novembro, Martinez enfrenta o conservador Luis Lacalle Pou, do Partido Nacional, no segundo turno das eleições uruguaias.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.