Mundo

7,8 milhões de pessoas na América Latina correm risco de insegurança alimentar, diz Cepal

‘Isto é apenas levando em consideração a inflação e o crescimento’, assinalou o secretário-geral interino da Cepal, Mario Cimoli

Créditos: EBC Créditos: EBC
Apoie Siga-nos no

Cerca de 7,8 milhões de pessoas estão em risco de sofrer de insegurança alimentar na América Latina e no Caribe devido à inflação e à desaceleração do crescimento econômico, estimou nesta segunda-feira 6 a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

“Isto é apenas levando em consideração a inflação e o crescimento. Se acrescentarmos o fato de que afeta muito mais as mulheres [em alusão à piora na renda e no emprego das mulheres pela pandemia], os setores informais, que não têm recursos para melhorar no social, [então] o impacto da situação pode ser ainda maior”, assinalou o secretário-geral interino da Cepal, Mario Cimoli.

 

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo