Justiça

TSE decide arquivar ações que poderiam cassar Bolsonaro e Mourão

Processos apresentados por PDT e Avante se baseiam nos disparos em massa de fake news na campanha presidencial de 2018

O vice-presidente Hamilton Mourão e o presidente Jair Bolsonaro. Foto: EVARISTO SÁ/AFP O vice-presidente Hamilton Mourão e o presidente Jair Bolsonaro (Foto: EVARISTO SA / AFP)
Apoie Siga-nos no

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu na noite desta terça-feira 9 rejeitar duas ações que pedem a cassação da chapa Jair Bolsonaro/Hamilton Mourão.

Os processos, apresentados pela coligação Brasil Soberana, composta por PDT e Avante, se baseiam nos disparos em massa de fake news na campanha presidencial de 2018.

Votaram pelo arquivamento das acusações os ministros Luís Felipe Salomão (relator), Mauro Campbell, Tarcísio Vieira, Sergio Banhos, Edson Fachin, Alexandre de Moraes e Luis Roberto Barroso.

Segundo Salomão, “a protelação dessas duas demandas seria apenas um jogo político que atenderia ao interesse de quem não obteve o resultado nas urnas e objetiva o prolongamento dessas duas demandas.

“Ocorre que a cassação de um mandato requer a demonstração evidente do ilícito e de sua repercussão e/ou alcance, pois meras ilações não autorizam a mencionada sanção. Nesse sentido, o acervo probatório não permite aferir quantitativamente a influência das mensagens enviadas por WhatsApp sobre a vontade do eleitor”, acrescentou.

Para o relator, “não sendo possível constatar a prática de conduta grave o suficiente para turbar a legitimidade, a normalidade e a paridade de armas das eleições, fica afastada a ocorrência do abuso de poder – o que, por sua vez, conduz à rejeição dos pedidos de cassação do mandato e declaração de inelegibilidade”.

Os processos decorrem de uma reportagem publicada ainda em 2018 pelo jornal Folha de S.Paulo que apontou esquema de contratação de empresas para disparos de notícias falsas via WhatsApp, com a suspeita de uso fraudulento de CPFs por empresários. Em dezembro do ano passado, o Ministério Público Eleitoral argumentou que as provas colhidas até agora não justificam a cassação de Bolsonaro e Mourão.

Essas ações, porém, não são as mais impactantes envolvendo a denúncia de propagação de notícias falsas. Estão pendentes de julgamento pelo TSE dois processos do PT que podem contar com o compartilhamento de provas obtidas no inquérito das fake news que tramita no Supremo Tribunal Federal.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.