Justiça

Toffoli suspende multa de R$ 10 bilhões prevista em acordo de leniência da J&F

O grupo busca a extensão da decisão em que Toffoli anulou todas as provas do acordo de leniência da Odebrecht; por se tratar de uma liminar, o recurso será analisado pelo Plenário da Corte

Ministro Dias Toffoli participa da sessão plenária do STF. Foto: Carlos Moura/SCO/STF.
Apoie Siga-nos no

O ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, suspendeu a multa de 10,3 bilhões de reais prevista no acordo de leniência firmado pela J&F com o Ministério Público Federal no âmbito da Operação Greenfield. 

A decisão tem caráter liminar e foi expedida na manhã desta quarta-feira 20. As informações foram obtidas pelo O Globo. De acordo com a publicação, a decisão também autoriza a empresa a reavaliar junto à Corregedoria-Geral da União os anexos que envolvem o acordo. 

No mesmo despacho, o ministro ainda concedeu aos advogados da empresa o acesso às conversas entre o ex-juiz Sergio Moro e integrantes do MP, obtidas na Operação Spoofing. 

A decisão atendeu a um recurso impetrado no Supremo Tribunal Federal, após a concessão de desconto na multa prevista no acordo por parte do Conselho Institucional do Ministério Público. 

O pedido principal é para que o STF suspenda todas as obrigações do acordo de leniência até que a J&F possa analisar os documentos reunidos pela Operação Spoofing. 

Na prática, a J&F deseja a extensão, em seu favor, da decisão em que Toffoli anulou todas as provas do acordo de leniência da Odebrecht, atual Novonor. A peça sustenta que o grupo foi “coagido a celebrar acordo de leniência e apresentar anexos para assegurar sua sobrevivência financeira e institucional”.

Em agosto, o subprocurador Ronaldo Alvo já havia cancelado parte da multa por iniciativa própria. 

Além do cancelamento total da multa, a J&F também pediu ao Supremo a anulação de “todos os negócios jurídicos de caráter patrimonial decorrentes da situação de inconstitucionalidade estrutural e abusiva em que se desenvolveram as Operações Lava Jato e suas decorrentes.” 

A decisão, no entanto, se relaciona apenas ao cancelamento da multa. Por se tratar de uma liminar, o recurso ainda será analisado pelo Plenário da Corte. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo