Justiça

Rússia autoriza extradição de suspeito por ataque à sede do Porta dos Fundos

Eduardo Fauzi deve ser encaminhado para um presídio no Rio de Janeiro

Eduardo Fauzi, acusado de envolvimento no atentado contra o Porta dos Fundos. Foto: Reprodução
Eduardo Fauzi, acusado de envolvimento no atentado contra o Porta dos Fundos. Foto: Reprodução

A Procuradoria-Geral da Rússia autorizou a extradição de Eduardo Fauzi Richard Cerquise, economista e empresário de 41 anos que teria participado de um atentado contra o prédio do canal de humor Porta dos Fundos, em 24 de dezembro de 2019, por ocasião de um filme que retratava Jesus Cristo como homossexual.

A informação sobre a decisão da Justiça russa foi divulgada nesta quinta-feira 13 pelo portal G1O homem estava preso na Rússia desde setembro de 2020.

Ele havia sido identificado pela 10ª Delegacia de Polícia de Botafogo a partir de gravações de 50 câmeras de monitoramento. Uma das câmeras havia flagrado o instante em que ele desceu do veículo utilizado para a fuga momentos após o ataque.

O empresário fugiu para a Rússia em 29 de dezembro daquele ano, depois que as investigações no Brasil tinham sido abertas. Dois dias depois, o Ministério das Relações Exteriores o reconheceu como foragido e pediu a sua extradição no início de 2020.

De acordo com o G1, a partir de informações do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, o homem ficou preso preventivamente em uma penitenciária na capital do país.

A entrega da custódia de Fauzi a policiais brasileiros será realizada no Aeroporto Internacional de Moscou. Ele deve ser encaminhado para o presídio José Frederido Marques, em Benfica, na zona norte do Rio de Janeiro.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!