Justiça

Rosa diz que 8 de Janeiro ampliou harmonia entre os Poderes e pede responsabilização de golpistas

A ministra qualificou o ataque como ‘desprezível’ e disse que a continuação dos trabalhos é a ‘resposta fundamental’

A presidente do STF, Rosa Weber. Foto: Nelson Jr./SCO/STF
Apoie Siga-nos no

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber, lembrou na abertura da sessão desta quarta-feira 8 os atos golpistas de janeiro, que completam um mês.

“Longe de enfraquecer nossa democracia constitucional, veio a conferir, à mercê da solidariedade imediata de todos, maior intensidade ao convívio necessariamente harmonioso, exigido pelo próprio texto constitucional, entre os poderes do Estado”, disse a ministra.

Segunda ela, “restou fortalecida a comunhão nacional em torno do princípio nuclear inderrogável que privilegia e consagra entre nós a democracia, que não pode, em absoluto, sofrer qualquer transgressão”.

Weber ainda qualificou o ataque às sedes dos Três Poderes como “desprezível” e disse que a continuação dos trabalhos na Corte é a “resposta fundamental” ao terrorismo, “paralelamente às ações destinadas a reparar os danos causados ao patrimônio público e a promover a responsabilização de agentes”.

Um mês após a ação golpista, há um total de 653 pessoas denunciadas pela Procuradoria-Geral da República e 942 presas. O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) se tornou formalmente investigado, por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do STF, enquanto o ex-secretário de Segurança Pública Anderson Torres foi preso e o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), foi afastado do cargo.

Leia a íntegra do pronunciamento de Rosa Weber:

Pronunciamento-Rosa

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo