Justiça

MP investigará ex-promotor que admitiu ter acusado Haddad por vingança

Caso os fatos sejam comprovados, Marcelo Millani poderá perder a aposentadoria

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo informou nesta sexta-feira 8 a abertura de uma investigação contra o promotor aposentado Marcelo Millani, que admitiu ter denunciado por vingança o ex- prefeito paulistano e atual ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT).

Millani trabalhava na Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, setor do MP responsável por investigar crimes de corrupção e improbidade administrativa.

O MP-SP avaliará a conduta de seu ex-integrante após ele afirmar ter se “excedido em sua conduta e ajuizado ações de improbidade administrativa” contra Haddad.

Ele ofereceu a denúncia em 2017, após Haddad relatar ter recebido a informação de que Millani teria pedido 1 milhão de reais em propina para não apresentar uma ação judicial contra a Odebrecht.

A admissão de culpa de Millani ocorreu em um acordo firmado entre ele e Haddad para encerrar uma ação judicial movida pelo promotor aposentado contra o petista por crimes contra a honra.

No acordo, homologado pelo Superior Tribunal de Justiça, Millani admite que, em razão da acusação de perseguição política feita por Haddad e “com uma má interpretação da conduta” do ex-prefeito, protocolou quatro ações.

O MP-SP ainda informou nesta sexta que, caso os fatos narrados sejam comprovados, ajuizará uma ação judicial visando a cassação da aposentadoria do ex-promotor.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.