Ministro do STJ manda Queiroz de volta para prisão

A decisão também atinge sua mulher, Márcia Aguiar, que antes estava foragida e agora deve ser presa

Foto: AFP

Foto: AFP

Justiça

O ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), revogou nesta quinta-feira 13 a prisão domiciliar de Fabrício Queiroz e e da mulher dele, Márcia de Aguiar.

Fischer determinou que o Tribunal de Justiça do Rio analise a situação dos dois. Enquanto isso, fica restabelecida a ordem de prisão do casal em regime fechado.

Ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e amigo da família do presidente Jair Bolsonaro, Queiroz estava em domiciliar desde 9 de julho, quando  o presidente do STJ, João Otávio de Noronha, concedeu o benefício a ele e a esposa, que estava foragida desde 18 de junho quando a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Anjo.

 

Filha alimentava rachadinhas

A filha de Queiroz, a personal trainer Nathalia Queiroz, alimentou o esquema de “rachadinha” enquanto trabalhava no gabinete de Bolsonaro quando ele ainda era deputado federal.

Segundo dados da quebra de sigilo bancário revelados pelo jornal Folha de S. Paulo, Nathália transferiu 150.539,41 mil reais para a conta do policial militar aposentado de janeiro de 2017 a setembro de 2018, período em que trabalhava no gabinete de Bolsonaro.

O valor representa 77% do que a personal trainer recebeu da Câmara dos Deputados.

O esquema dos repasses é a mesma descrita pelo Ministério Público do Rio de Janeiro sobre a suposta “rachadinha” no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Promotores identificaram que as transferências ou depósitos ocorriam sempre em até uma semana após o recebimento do salário.

 89 mil reais para Michelle Bolsonaro

Não foi só Fabrício Queiroz que fez depósitos na conta de Michelle Bolsonaro, como revelou na revista Crusoé na última sexta-feira 7. De acordo com a TV Globo, a esposa do ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Márcia Aguiar, também repassou quantias à primeira-dama.

Queiroz, de acordo com extratos bancários em poder do Ministério Público, depositou 21 cheques, entre 2011 e 2016, na conta de Michelle. Já Márcia teria repassado cinco cheques. Ao todo, na conta da primeira-dama entraram 89 mil reais a partir de depósitos do casal.

Os dados dos repasses desmentem a versão do presidente Jair Bolsonaro sobre um cheque de 24 mil reais que, supostamente, era fruto de um empréstimo. Não há nenhum sinal na conta bancária de Queiroz de que ele tenha recebido dinheiro do presidente antes disso, o que configuraria o empréstimo.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem