Justiça

Justiça emite mandado de prisão contra motorista de Porsche que matou motorista de aplicativo

A prisão preventiva foi decretada na noite de ontem, mas mandado foi expedido somente na tarde deste sábado 4

Sastre dirigia uma Porsche em alta velocidade quando colidiu com o carro conduzido por Ornaldo Silva Viana. Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

O Tribunal de Justiça de São Paulo emitiu, na tarde deste sábado 4, o mandado de prisão contra Fernando Sastre de Andrade Filho, o motorista do Porsche que atropelou um motorista de aplicativo.

A colisão provocou a morte de Ornaldo da Silva Viana e feriu o estudante de medicina Marcus Vinicius Machado Rocha, que estava no banco do passageiro do Porsche.

A prisão preventiva foi decretada na noite de ontem pelo desembargador João Augusto Garcia, da 5ª Câmara de Direito Criminal, pelo risco de reiteração da conduta criminosa.

Em 29 de abril, o MP denunciou Sastre por homicídio doloso qualificado (pena de 12 a 30 anos de reclusão) e lesão corporal gravíssima (que pode elevar a pena total em um sexto), ambos na modalidade dolo eventual. A denúncia foi recebida pela Justiça um dia depois.

Uma semana antes, a Polícia Civil concluiu o inquérito e pediu a prisão de Sastre. A mãe dele, Daniela Cristina de Medeiros Andrade, também foi indiciada por fuga do local do acidente.

A defesa de Fernando pretende recorrer da prisão preventiva, mas afirmou que cumprirá a decisão judicial.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo