Justiça

Coligação de Lula aciona o TSE contra discurso de Bolsonaro em Londres

Campanha do ex-presidente pede que ex-capitão seja impedido de utilizar imagens obtidas durante viagem oficial

Bolsonaro discursa na sacada da casa do embaixador brasileiro em Londres. Foto: Pablo Uchoa
Apoie Siga-nos no

A Coligação Brasil da Esperança, que representa a chapa do ex-presidente Lula (PT) e Geraldo Alckmin (PSB), entrou com um pedido no Tribunal Superior Eleitoral contra o discurso feito pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em Londres, no domingo 19. 

Para a coligação, o ex-capitão aproveitou o evento para fazer campanha eleitoral. “Percebe-se que Jair Messias Bolsonaro confunde as figuras de Presidente da República com a de candidato à reeleição, sequestrando atos oficiais da República Brasileira para fazer campanha eleitoral, o que é absolutamente irregular”, diz o documento. 

Bolsonaro, que está na capital inglesa para acompanhar o velório da rainha Elizabeth II, discursou para apoiadores da sacada da residência oficial do embaixador brasileiro no Reino Unido.

“A fala de Bolsonaro demonstra o cunho eleitoral do discurso realizado no seio de uma viagem oficial do Estado Brasileiro, que em nada poderia se confundir com sua campanha à reeleição”, defende a coligação. “Jair Messias Bolsonaro, na qualidade de candidato à reeleição à Presidência da República, viola a igualdade de oportunidades dentre os demais candidatos, indo de encontro às regras eleitorais expressas na legislação”. 

O pedido requer que Bolsonaro e aliados retirem do ar os registros do discurso na capital londrina e sejam condenados por abuso de poder político e econômico. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo