Educação

Grupo reage ao governo de MT e sugere militarização de escolas particulares

O governo de Mauro Mendes tenta entregar a gestão da Escola Estadual Professora Adalgisa de Barros à Polícia Militar

Créditos: Reprodução
Apoie Siga-nos no

Um grupo de skatistas de Várzea Grande (MT) reagiu às intenções do governo de Mauro Mendes (União Brasil) de militarizar a Escola Estadual Professora Adalgisa de Barros. Os signatários de um manifesto sugerem a militarização de escolas particulares voltadas às elites do estado.

“Nós, pobres, pretos e periféricos, nos manifestamos aqui, com tamanha derrisão, a favor da militarização das escolas, mas não apenas das escolas públicas”, diz um trecho do texto. “Não queremos ter exclusivamente esse privilégio. Já que a militarização é um projeto de educação excelente, queremos compartilhá-lo também com as escolas dos filhos de vocês.”

Os postulantes ainda sugerem que a militarização comece pela escola frequentada por uma das filhas do governador, o Colégio Notre Dame de Lourdes. “É aquela escola em que a madre diretora chamou o helicóptero da PM para intimidar a manifestação de seus alunos”, provocaram os skatistas, em referência a um episódio de setembro de 2021.

Na ocasião, um helicóptero da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso fez um voo baixo sobre o Colégio Notre Dame de Lourdes, um dia depois de uma professora ter sido demitida por criticar o então presidente Jair Bolsonaro (PL) em sala de aula. Os ocupantes da aeronave portavam uma bandeira do Brasil e a exibiram para os alunos durante o sobrevoo. A secretaria alegou que a ação foi um pedido “da própria instituição educacional”, como parte das “atividades da Semana da Pátria realizada pelo colégio”.

A comunidade da escola Professora Adalgisa de Barros tem protagonizado uma resistência frente às investidas do governo para entregar a instituição à gestão da Polícia Militar. Uma assembleia realizada em 23 de janeiro gerou tumulto e foi cancelada pelo secretário da Educação, Amauri Monge Fernandes, que determinou a realização de uma nova audiência pública, em data a ser definida pela Diretoria Regional de Educação de Várzea Grande.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.