Educação

Autor de ataque a escola de São Paulo publicou mensagens racistas e neonazistas, diz jornal

A apuração policial também apontou que o adolescente se automutilou para ‘ganhar pontos’ na internet

Créditos: FLORENCE GOISNARD / AFP
Apoie Siga-nos no

O autor do ataque a tiros na Escola Estadual Sapopemba, na Zona Leste da cidade de São Paulo, tinha publicações de cunho racista e neonazista nas redes sociais. A informação foi divulgada nesta terça-feira 24 pelo jornal Folha de S. Paulo.

O veículo teve acesso a um vídeo em que o estudante de 16 anos aparece com uma suástica desenhada na bochecha e a uma publicação no X marcada por ataques racistas. “Essa puta preta macaca”, disse ele sobre uma mulher que, aparentemente, criticava seus amigos.

Segundo consta do inquérito policial, a mãe do adolescente relatou que o filho tinha muitos seguidores nas redes e chegou a negociar a gravação oficial de uma música, mas as tratativas foram canceladas depois de ele publicar a suástica. A responsável pelo adolescente disse que chegou a questioná-lo sobre o ato, e ele teria afirmado não conhecer o significado do símbolo nazista.

A apuração policial também apontou que o garoto se automutilou na coxa com um símbolo da suástica, uma forma de ganhar pontos em um grupo que integrava na internet. A imagem foi apresentada à mãe, que declarou desconhecer a existência do símbolo. O adolescente, por sua vez, admitiu que se automutilou com uma lâmina de barbear, mas negou que tenha sido orientado por alguém a praticar o ato.

O jovem aparece em vídeos apanhando de outros estudantes dentro e fora da escola. A mãe do garoto também relatou que o filho foi agredido por outros alunos de uma escola em que ele já foi matriculado, na mesma região, e que o episódio motivou o registro de um boletim de ocorrência, em abril deste ano.

Segundo o advogado do jovem, o ataque à escola teria sido motivado por bullying e homofobia. A defesa disse que o garoto pegou a arma na casa do pai, sem a ciência dele, e a levou para a casa da mãe, que também desconhecia a presença do objeto. O ataque a tiros na escola deixou uma adolescente de 17 anos morta e outros três feridos.

Tags: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.