Economia

Governo trabalha para que o PIB cresça mais de 2%, diz Haddad

“Estamos confiantes de que poderemos ter um ano acima das expectativas”, comentou o ministro

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad. Foto: Washington Costa/MPO
Apoie Siga-nos no

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), afirmou nesta terça-feira 30, que o governo tem mirado em um crescimento acima de 2% no Produto Interno Bruto (PIB) este ano.

“Os números deste ano estão bastante razoáveis. Estamos confiantes de que poderemos ter um ano acima das expectativas”, comentou.

O comentário de Haddad acontece após o Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgar nesta terça uma estimativa para economia do Brasil. Segundo o FMI, a economia brasileira deve crescer 1,7% em 2024.

O número é maior do que a estimativa de 1,5% apontada pela organização em outubro de 2023.

Taxa de juros

Às vésperas da “super quarta”, quando o Banco Central e o Federal Reserve, dos EUA, divulgam as taxas de juros no mesmo dia, Haddad afirmou que espera uma “semana tranquila”.

Segundo o ministro, se o Federal Reserve cortar os juros dos EUA ainda no primeiro semestre, a taxa básica de juros no Brasil poderá ser menor do que está previsto atualmente.

Atualmente, a taxa básica de juros, a Selic, está em 11,75% ao ano. A expectativa é que o Copom siga reduzindo a Selic em 0,5 ponto percentual, devendo ser reduzida para 11,25%.

Já a taxa básica de juros nos Estados Unidos está entre 5,25% e 5,5% ao ano.

ENTENDA MAIS SOBRE: , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo