Bolsonaro diz que há apenas uma “pequena crise” com o preço da carne

Apesar de apontar 'volta à normalidade', presidente contradisse fala da ministra Tereza Cristina, que afirmou que os preços não caem mais

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro (Foto: Evaristo Sá/AFP)

Economia

O presidente Jair Bolsonaro apontou uma “pequena crise” em relação ao preço da carne no Brasil, que sofreu um aumento nacional de 23% no mercado atacadista em novembro, segundo a Scot Consultoria.

“Daqui a um tempo, acho que vai diminuir o preço”, disse Bolsonaro a um dos apoiadores que o aguardavam na entrada do Palácio da Alvorada “É a lei da oferta e da procura”, completou.

Bolsonaro vem sendo questionado em relação à carne. Na última quinta-feira 28, em sua live semanal no Facebook, também relatou que haviam muitos eleitores insatisfeitos com o que viam nos mercados, e disse que “o pessoal está reclamando com razão”. Em alguns lugares como São Paulo, a disparada foi de mais de 35%, como declarou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) da Escola de Agricultura da Universidade de São Paulo (USP).

“Subiu [o preço]. A nossa andança pelo mundo, o mundo começou a comprar mais da gente, começa a vender mais, tem menos para botar na prateleira, infelizmente isso acontece, mas conversei isso hoje com a ministra Tereza Cristina, ela acha que em três ou quatro meses volta à normalidade”, afirmou.

Tereza Cristina, que é ministra da Agricultura, defendeu que o preço anterior é que estava “muito baixo” e que, em breve, espera uma estabilização – mas não a diminuição. Em entrevista ao portal Poder 360, ela afirmou que o motivo é a movimentação do mercado em relação ao produto brasileiro.

“A carne ficou por 3 anos com valor muito baixo. Vai ter uma estabilização. Não vai ter mais essas puxadas. Mas não tem perigo de voltar ao que era. Mudou o patamar”, afirmou.

*Com informações da Agência Brasil

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem