Cultura

Madonna recebe o título de cidadã honorária do Rio de Janeiro

A cantora reuniu mais de 1,6 milhões de pessoas em Copacabana e o evento movimentou cerca de 300 milhões de reais

Anitta e Madonna durante apresentação no Rio de Janeiro. Foto: Manu Scarpa / Brazil News
Apoie Siga-nos no

A cantora Madonna recebeu o diploma de Cidadã Honorária do Rio de Janeiro. A honraria foi concedida em 29 de abril, uma semana antes do show que reuniu mais de 1,6 milhões de pessoas em Copacabana.

O título é entregue para pessoas que não nasceram na cidade, mas desempenharam alguma atividade importante no município.

Na justificativa do projeto, os parlamentares Cesar Maia e Carlo Caiado, ambos do PSD, argumentam que a vinda de Madonna no Rio de Janeiro “atrai e impacta diretamente no crescimento econômico, cultural e turístico da cidade”, além de oferecer uma oportunidade única de celebrar “uma das maiores artistas de todos os tempos”.

Para o show do último sábado, tanto governo estadual quanto prefeitura desembolsaram 10 milhões de reais, totalizando 20 milhões. Estima-se que a vinda da cantora ao Rio tenha movimentado aproximadamente 300 milhões.

Durante a apresentação, Madonna usou as cores da bandeira do Brasil e homenageou vítimas do HIV/AIDS com a música ‘Live to Tell’, com destaque para os cantores brasileiros Cazuza e Renato Russo, além do humorista Mauro Gonçalves, o eterno Zacarias de ‘Os Trapalhões’. Em outros momentos do show, figuras políticas como Marielle Franco e Erika Hilton também foram homenageadas.

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo