Cultura

assine e leia

A vida vivida entre as cinzas

Romance passado no Iraque, ganhador do prêmio Goncourt, celebra a resistência das pessoas comuns

A escritora Emilienne Malfato transformou o Rio Tigre em um narrador que tudo observa – Imagem: Maximiliano Luna
Apoie Siga-nos no

“Eu sou o Tigre. Há milhares de luas, atravesso o deserto, longo como uma veia sagrada.” É assim que a francesa Emilienne ­Malfato abre Que por Você se Lamente o Tigre, livro que se passa no Iraque contemporâneo e que ganhou o Prêmio Gouncourt na categoria romance de estreia em 2021.

Não é surpreendente que a narrativa seja forte em sua construção de imagens. Emilienne é, afinal de contas, uma fotógrafa premiada. Mas a força da obra reside também na reunião de diversos narradores numa prosa curta e pulsante, alinhavada pelas impressões dos personagens.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.

10s