CartaExpressa

Witzel vira réu na Justiça Federal acusado de promover desvios na saúde

Witzel vira réu na Justiça Federal acusado de promover desvios na saúde

FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL

FOTO: FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL

O ex-governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), se tornou réu por ação criminosa, acusado de promover desvios na área da saúde. A decisão desta quarta-feira 16 da Justiça Federal é da juíza Caroline Figueiredo, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Witzel foi alvo de quatro denúncias feitas pela Procuradoria Geral da República.

Além do ex-governador também se tornam réus a sua esposa, Helena, o ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, o ex-secretário de Saúde Edmar Santos, e Pastor Everaldo, presidente do PSC. A decisão é da juíza Caroline Figueiredo, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

De acordo com a PGR, os desvios ocorreram pela contratação irregular de organizações para a área da saúde.

Nesta quarta-feira, em depoimento à CPI da Covid, Wilson Witzel disse que não era acusado de improbidade administrativa. O ex-governador interrompeu o seu depoimento ao pedir para se retirar da sessão e afirmou que pediu à comissão uma nova oitiva, desta vez reservada, sob ‘segredo de justiça’.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem