CartaExpressa

TV de Ratinho usa tragédia de Blumenau em ação publicitária sobre plano funerário

O caso ocorreu durante o programa Tribuna da Massa em uma afiliada do SBT no Paraná

Foto: Reprodução
Apoie Siga-nos no

A Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná de propriedade do apresentador e empresário Ratinho, usou a tragédia em uma creche de Blumenau (SC) para fazer o anúncio de uma empresa de planos funerários.

O caso aconteceu durante o programa Tribuna da Massa. O apresentador do programa, Lucas Rocha, chega a mencionar o atentado que deixou quatro crianças mortas, tendo ao fundo imagens de familiares das vítimas em frente à unidade escolar. Na sequência, ele interrompe o conteúdo e volta ao estúdio para chamar um representante da empresa funerária.

“Tem momentos na vida que são muito difíceis. E até por isso que todos os dias a gente traz aqui a Luto Canaã, que é uma empresa em que a gente confia na hora que a gente mais precisa. Fala pra gente sobre isso, por favor, Ed”, anuncia o apresentador.

“Exatamente. Esse momento triste que a gente está vendo agora, essa tragédia… Você imagina os pais dessas crianças, que levaram as crianças de manhã para uma creche e não vão ter eles à noite, né?”, lamentou o representante comercial. “A morte ela chega quando a gente menos espera, e a gente fala disso todos os dias, da importância de você estar preparado com essa empresa aqui, ó!”

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.