CartaExpressa

Pedido de extradição de Allan dos Santos é recebido nos Estados Unidos

Governo tentou retardar o envio de decisão do STF que determina retorno do blogueiro bolsonarista ao País

Allan dos Santos e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Allan dos Santos e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais

O pedido de extradição do bolsonarista Allan dos Santos chegou aos Estados Unidos na semana passada e já está em análise. A informação é do jornal Folha de S.Paulo. 

A determinação, expedida pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, foi enviada pelo departamento do Ministério da Justiça  dois dias antes da decisão ser divulgada, em outubro. 

Na semana passada, o jornal revelou que o Planalto tentou interferir no envio da extradição e exonerou a chefe do setor responsável por dar prosseguimento ao processo como forma de retaliação. 

Fontes ligadas à cúpula da pasta afirmam á publicação que o ministro da Justiça e o secretário do departamento consideram que a delegada Silvia Amélia escondeu informações sensíveis de seus superiores hierárquicos e que teria agido de forma sigilosa para evitar que o governo barrasse envio de documentação aos Estados Unidos. 

Colegas da delegada defendem a tecnicidade do departamento e dizem ver risco de interferência política na pasta por parte do presidente Jair Bolsonaro.

Allan dos Santos é investigado no inquérito das milícias digitais e encontra-se foragido dos Estados Unidos. 

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!