CartaExpressa,Política

Pacheco cobra rapidez para marcar sabatina de Mendonça: ‘O quanto antes’

Pacheco cobra rapidez para marcar sabatina de Mendonça: ‘O quanto antes’

André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro para o STF. Foto: Alan Santos/PR

André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro para o STF. Foto: Alan Santos/PR

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), cobrou nesta sexta-feira 24 a definição da data em que ocorrerá a sabatina de André Mendonça, indicado por Jair Bolsonaro para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal.

Pacheco pediu que a sessão aconteça “o mais brevemente possível”.

“A sabatina de André Mendonça é tarefa e missão constitucional da CCJ [Comissão de Constituição e Justiça], que precisa designar uma data de esforço concentrado para presença física de senadores em Brasília para que possa haver deliberação”, disse Pacheco em São Paulo.

indicação de Bolsonaro encontra resistência na CCJ do Senado. O presidente do colegiado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tem adiado a sabatina do ex-ministro da Advocacia-Geral da União.

“O presidente Davi Alcolumbre tem ciência da sua responsabilidade e da necessidade de cumprir essa missão”, avaliou Pacheco, que disse esperar uma resolução “o quanto antes”. “E eu acredito que isso possa se resolver muito brevemente, eu estou me esforçando muito para isso”.

Na última terça-feira 21, o ministro do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski determinou que Alcolumbre preste informações sobre o caso. O magistrado atendeu a um pedido dos senadores Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Jorge Kajuru (Podemos-GO) para que o STF determine que a CCJ marque a sabatina. O nome de Mendonça foi oficializado por Bolsonaro em 13 de julho e os senadores questionam a demora no anúncio da sessão.

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem