CartaExpressa

‘Não tinha a informação’, diz Doria sobre origem americana da Butanvac

A vacina anunciada pelo governador como ‘100% nacional’ é feita com vírus geneticamente modificado cedido pelo hospital Mount Sinai

O governador João Doria (PSDB). Foto: GOVSP
O governador João Doria (PSDB). Foto: GOVSP

Na última sexta-feira 26, o governo de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram a produção de uma vacina contra a Covid-19 100% brasileira. A Butanvac, como é chamada, usará a estrutura que o instituto já dispõe para a vacina influenza, cultivada em ovos de galinha.

Ocorre que o imunizante foi feito com vírus geneticamente modificado e cedido ao Butantan sem royalties pelo hospital Mount Sinai, de Nova York.

Questionado em coletiva na manhã desta segunda 29, Doria disse:

Eu não tinha a informação, mas entendo que a Butanvac é uma vacina nacional. O importante é termos uma vacina, e temos. Se parte dela é tecnologia internacional, isso é uma boa contribuição, isso é positivo

O governador promete produzir 40 milhões de doses da Butanvac até o final do ano. O imunizante precisa ainda da autorização da Anvisa para o início de testes clínicos em humanos.

Assine nossa newsletter

Receba conteúdos exclusivos direto na sua caixa de entrada.

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fonte confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!