CartaExpressa

‘Não terei o mesmo destino de PC Farias’, diz Joice Hasselmann

‘Não terei o mesmo destino de PC Farias’, diz Joice Hasselmann

Perícia analisou 16 câmeras de segurança e informou que deputada também não saiu de casa no período em que diz ter sido agredida

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP). Foto: Reprodução

A deputada Joice Hasselmann (PSL-SP). Foto: Reprodução

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) comentou em suas redes sociais sobre a perícia realizada em seu apartamento para investigar o atentado sofrido. Até o momento, pouco se descobriu sobre o caso.

A parlamentar afirma que na madrugada de domingo, 18 de julho, ela acordou caída no chão de casa com ferimentos. A deputada quebrou dois dentes e teve fraturas no rosto e na coluna.

No Twitter, Joice comparou-se ao tesoureiro do ex-presidente Fernando Collor, Paulo Cesar Farias, o PC.

“Já disse com todas as letras que isso não é coisa de amador, mas de profissional. Ninguém entraria na casa de uma parlamentar para agredi-la dando ‘tchauzinho’ para a câmera do térreo ou do elevador, tendo tantos pontos cegos no prédio. Não terei o mesmo destino de PC Farias”, afirmou a deputada.

Joice refere-se ao fato de as câmeras de segurança do prédio não terem identificado nenhuma anormalidade e às dúvidas que ainda cercam o assassinado de PC Farias.

PC foi encontrado morto em 1996, em uma casa na praia de Guaxuma, próxima de Maceió. Ao seu lado, estava morta também sua namorada, Suzana Marcolino. Uma primeira perícia feita à época apontava que PC teria sido morto por Suzana, que depois se matou. Tal versão foi contestada pouco tempo depois.

Os ex-seguranças do tesoureiro foram apontados como possíveis responsáveis e levados a júri popular. Os réus foram a julgamento em 2013 e foram considerados inocentes das acusações. Até hoje, não se sabe, portanto, a motivação do crime e a suspeita de queima de arquivo ainda paira sobre o caso.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem