CartaExpressa

Ministério Público da Espanha investigará racismo contra Vinícius Jr.

O jogador foi vítima do crime durante uma partida de La Liga no último domingo 21

Foto: Jose Jordan/AFP
Apoie Siga-nos no

O Ministério Público da Espanha abriu nesta segunda-feira 22 um procedimento para investigar o caso de racismo sofrido pelo jogador Vinícius Junior, atacante brasileiro do Real Madrid, durante uma partida contra o Valencia no domingo 21. A informação foi divulgada pela agência EFE.

A apuração colherá todos os registros disponíveis sobre o episódio, desde vídeos publicados nas redes sociais até informações policiais e a súmula da partida.

Os investigadores também verificarão o que aconteceu antes de a bola rolar – por exemplo, na chegada dos jogadores ao estádio do Valencia, quando também houve ofensas racistas, segundo relatos.

Mais cedo, o Real Madrid informou ter acionado a Procuradoria-Geral da Espanha para investigar o caso.

O Valencia também se manifestou, informando que banirá de seu estádio “para sempre” os torcedores que cometeram os atos racistas.

ENTENDA MAIS SOBRE: ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.