CartaExpressa

Mansão de Renan Bolsonaro e da mãe em Brasília pode ter sido comprada por laranja

Suspeita é reforçada pelo relato do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Marcelo Nogueira, que também denunciou o o esquema de rachadinha

Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

A mansão de mais de 3 milhões no Lago Sul em Brasília, novo lar de Renan Bolsonaro e sua mãe Ana Cristina Siqueira Valle, pode ter sido comprada em nome de um laranja.

A suspeita foi reforçada pela entrevista do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Marcelo Luiz Nogueira dos Santos, ao portal UOL nesta sexta-feira 3.

Segundo Nogueira, a ex-esposa de Jair Bolsonaro vendeu o apartamento em que morava com o filho na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, e com esse dinheiro teria comprado a mansão na área nobre do Distrito Federal.

“Ela já vendeu [o apartamento]. Foi com esse dinheiro que ela tá fazendo a casa dela [em Brasília]”, conta.

Segundo o portal, o imóvel no Rio de fato foi vendido no dia 13 de abril. No cartório a negociação rendeu cerca de 1,3 milhão de reais à advogada. O mesmo imóvel havia sido comprado por apenas 490 mil reais há apenas 9 meses. A valorização em três vezes também é suspeita.

Conforme contou o ex-funcionário, ela estava negociando a compra da nova casa pelo menos desde maio deste ano. Nogueira conta que foi convidado por Ana a morar na Capital para integrar um novo esquema de rachadinha operado por ela, semelhante ao que fez parte entre 2003 e 2007 no gabinete de Flávio Bolsonaro, quando devolvia 80% do salário ao político.

“Ela pegou a chave no dia 6 de junho e se mudou no dia 12. Eu ajudei a fazer a mudança. Recebi a mudança de Resende. Eu que montei a casa toda. Sozinho”, conta.

Nos registros oficiais, no entanto, a casa está em nome do corretor Geraldo Antônio Machado, que adquiriu o imóvel no dia 31 de maio por 2,9 milhões – cerca de 300 mil reais abaixo do preço de mercado. Dias depois, Machado teria desistido de se mudar para a mansão por ter tido um ‘probleminha’ e alugou o local para Ana e Renan.

Aluguéis nesta área custam cerca de 15 mil reais. Ana recebe apenas 6,2 mil reais mensais como assessora parlamentar da deputada Celina Leão (PP-DF). Renan é dono de uma empresa de eventos investigada por tráfico de influência.

Segundo Nogueira, ela teria firmado um ‘contrato de gaveta’ com Machado para adquirir o imóvel em nome dele. O corretor é dono da mansão, mas vive em uma casa modesta em uma região de classe média de Brasília. O imóvel milionário é o único registrado em nome dele.

A compra de imóveis é o ‘modus operandi’ de Ana Cristina. Enquanto esteve casada com Jair Bolsonaro, a advogada adquiriu 14 imóveis, boa parte em dinheiro vivo.

Ana Cristina não comentou as suspeitas.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar