CartaExpressa

Lula e Ciro Gomes trocam alfinetadas no Twitter

Lula e Ciro Gomes trocam alfinetadas no Twitter

Ciro Gomes e Lula em reunião em 2020, após rompimento em 2018. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Ciro Gomes e Lula em reunião em 2020, após rompimento em 2018. Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Houve troca de farpas entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o pré-candidato do PDT à presidência, Ciro Gomes, nesta quarta-feira 19, enquanto crescem as expectativas de um 2º turno entre eles na eleição de 2022.

Em publicação no Twitter, Lula escreveu que “adoraria” dizer que Ciro Gomes é seu amigo, “mas infelizmente ele não quer”. A postagem ocorre após o pedetista alvejar publicamente o ex-presidente com críticas sobre sua gestão e vincular o lulopetismo à ascensão de Jair Bolsonaro.

Em resposta, Ciro Gomes acusou Lula de ser “o responsável pela tragédia do desastrado Bolsonaro”.

“Lula, não é que você não queira brigar. É que para isso você usa bajuladores e seu gabinete do ódio. O que você não quer é debater o país, os projetos, as coisas que o PT fez no poder. Então você reduz a política a uma briga de amigos, a afetos”, escreveu.

Na sequência, Ciro Gomes acrescentou que Lula promoveu a desindustrialização, manteve a desigualdade e pagou juros indevidos. Afirmou ainda que não gostaria de tratar Lula como amigos.

“Todo mundo sabe que você só considera amigo uma única pessoa no mundo: você próprio. Eu quero, sim, tratá-lo como oponente, em uma disputa política de alto nível, em torno de ideias, propostas, projetos e fatos.”

 

 

Lula acena ao Centrão e a FHC

Também no Twitter, antes da resposta de Ciro Gomes, Lula defendeu o Centrão de críticas sobre aliança com Bolsonaro. Segundo o petista, a imprensa “induz ao erro” ao afirmar que o bloco todo está com o atual presidente.

“Não tratem o centrão como um partido único. Ao apagar as luzes da Câmara dos Deputados, cada partido tem interesse no seu estado. Vamos conversar individualmente com cada partido político.”

Em elogio ao seu antecessor no Planalto, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Lula disse que gostou de entrevista veiculada pelo portal UOL em 16 de maio. Na ocasião, FHC disse que votaria em Lula contra Bolsonaro.

“Eu gostei da entrevista do FHC. Sempre tivemos uma disputa civilizada. Ele me conhece bem, conhece o Bolsonaro. Fico feliz que ele tenha dito que votaria em mim e eu faria o mesmo se fosse o contrário. Ele sempre foi um intelectual e sabe que não dá pra inventar uma candidatura.”

Lula disse também, no Twitter, que tem conversado com políticos de diferentes partidos e, em possível indireta a Ciro Gomes, criticou o que chamou de “carrancudo”.

“Semana passada em Brasília falei com mais de 60 políticos, de vários partidos. Semana que vem vou conversar com os movimentos sociais, intelectuais e com o movimento sindical. Quero conversar muito. Quem faz política conversa. Dono da verdade, carrancudo, não serve pra política.”

 

 

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem