CartaExpressa

Governo tem de buscar R$ 168 bilhões em receitas para zerar o déficit em 2024, diz Tebet

A partir do arcabouço fiscal, aprovado pelo Congresso, a gestão Lula pretende reverter o rombo nas contas públicas no ano que vem

A ministra do Planejamento, Simone Tebet. Foto Lula Marques/ Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

A ministra do Planejamento, Simone Tebet, afirmou nesta quarta-feira 30 que o governo Lula precisa de 168 bilhões de reais em receitas extras para atingir o objetivo de zerar o rombo nas contas públicas em 2024.

Segundo a emedebista, o Ministério da Fazenda, comandado por Fernando Haddad, apresentou ao Planejamento as ações necessárias para obter a arrecadação desejada. As medidas constarão do Projeto de Lei Orçamentária Anual de 2024, a ser enviado ao Congresso Nacional até esta quinta 31.

Tebet declarou também que Haddad tem “cartas na manga” para o caso de algumas das medidas em tramitação no Congresso não serem aprovadas.

Conforme as contas do Planejamento, as despesas primárias do governo devem crescer 129 bilhões de reais no ano que vem, chegando a 2 trilhões de reais.

A partir do arcabouço fiscal, aprovado pelo Parlamento, a gestão Lula projeta zerar o déficit no ano que vem. Há, no entanto, uma banda: no cenário mais otimista, um superávit de 0,25% do PIB; no mais pessimista, um buraco de 0,25%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.