CartaExpressa,Política

Flávio Bolsonaro chama relatório de Renan Calheiros de alucinação

Flávio Bolsonaro chama relatório de Renan Calheiros de alucinação

O relator da CPI pedirá indiciamento dos filhos do presidente Jair Bolsonaro por disseminação de fake news

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

Filho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro. Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado

O senador Flávio Bolsonaro debochou, nesta sexta-feira 15, do relatório final da CPI da Covid no Senado. Para ele, o texto é cheio de “baboseira” que não deve prosperar na Procuradoria-Geral da República.

“Essa é uma peça política. Como o Renan [Calheiros] é muito próximo do Lula e do PT, ele já tenta usar isso como instrumento pra tentar desgastar o presidente Bolsonaro pra 2022″, disse o senador.  “Como ele [Calheiros] tem coragem de dizer de genocídio indígena?”, completou.

O relatório final será lido na próxima terça-feira 19 e deverá imputar ao menos 11 crimes ao presidente Jair Bolsonaro, incluindo causar epidemia, infração a medidas sanitárias preventivas, charlatanismo, prevaricação e crime de responsabilidade, entre outros.  

Ainda nesta sexta-feira, Flávio divulgou uma nota sobre o seu possível indiciamento por fake news.

“As acusações contra mim e contra o governo não têm base jurídica e sequer fazem sentido. É preciso lembrar que todas as vacinas aplicadas no País, sem exceção, foram compradas pelo governo Bolsonaro. E que, apesar da CPI insistir no rótulo de negacionista, foi o governo Bolsonaro que aplicou mais de 254 milhões de doses de vacina. Se não fosse Bolsonaro, que por meio do auxílio emergencial, transferiu R$ 335,6 bilhões e atendeu 68 milhões de brasileiros, o país teria se transformado num caos.”

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem