CartaExpressa

Fazenda elevará a projeção de crescimento do PIB para 1,9%, diz Haddad

Os dados do primeiro trimestre, segundo o ministro da Fazenda, surpreenderam e justificam a mudança

Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou nesta quinta-feira 18 que a pasta está em processo de revisão da projeção de crescimento do PIB em 2023 para 1,9%. A estimativa anterior da Secretaria de Política Econômica era de avanço de 1,61%.

Os dados do primeiro trimestre, afirma Haddad, surpreenderam e justificam a mudança.

“O trimestre foi bom. Relativamente bom. Bom é crescer muito, crescer mais. Mas relativamente surpreendeu os economistas. E nós entendemos que temos condições de fechar o ano na casa de 1,8% e 2%”, disse o ministro.

Em uma agenda no escritório da Fazenda em São Paulo, ele ainda celebrou a aprovação do regime de urgência para a tramitação da nova regra fiscal na Câmara dos Deputados.

Agora, avalia Haddad, o objetivo é fornecer “suporte técnico” à Casa, “com as contas que precisarem ser feitas em relação às dúvidas de parlamentares”. O governo espera ter o novo arcabouço aprovado na próxima quarta-feira 24.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar