CartaExpressa

‘Eleição de 2024 será outra vez entre Lula e Bolsonaro’, diz o presidente em evento do PT

O petista ainda pediu aos correligionários ‘coragem de fazer o embate político e ideológico com os nossos adversários’

Foto: Reprodução/TV PT
Apoie Siga-nos no

O presidente Lula (PT) afirmou nesta sexta-feira 8 que as eleições municipais de 2024 devem reeditar sua disputa contra o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

A declaração foi concedida na abertura da conferência eleitoral do PT, que começará a definir os rumos do partido para o pleito do ano que vem.

“Sinceramente, acho que essa eleição será outra vez Lula e Bolsonaro disputando nos municípios. E vocês sabem que não pode aceitar provocação, não pode ficar com medo, não pode ficar com vergonha, não pode enfiar o rabo no meio das pernas”, alertou o presidente. “Vamos fazer as eleições mais competitivas, mas a gente não terá medo de ninguém. O único medo que a gente tem de ter é o de trair a expectativa que o povo brasileiro tem no PT e nos nossos aliados.”

Lula ainda declarou que o governo tem muito a mostrar em seus primeiros 12 meses, mas avaliou que esse não será o ponto central para conquistar vitórias em 2024.

“O que vai ajudar a gente a ganhar as eleições é a gente ter coragem de fazer o embate político e ideológico com os nossos adversários, para que a gente possa mostrar as diferenças dos projetos de cidades que cada um de vocês vai construir.”

Por decisão do Tribunal Superior Eleitoral, Jair Bolsonaro está inelegível pelos próximos oito anos.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar