CartaExpressa

Dupla bolsonarista reedita imagem com placa quebrada de Marielle Franco

Daniel Silveira e Rodrigo Amorim posaram com um pedaço da placa emoldurado no gabinete do deputado estadual

Daniel Silveira e Rodrigo Amorim posam novamente com placa quebrada de Marielle Franco.  VEJA/Divulgação
Apoie Siga-nos no

Na semana passada, Rodrigo Amorim, deputado estadual pelo Rio de Janeiro, e Daniel Silveira reeditaram a fotografia tirada em 2018 em que a dupla se orgulha de ter quebrado uma placa de sinalização com o nome da parlamentar Marielle Franco, morta a tiros em março daquele ano. A informação é da revista Veja

O registro foi feito no gabinete do deputado, onde metade da placa está emoldurada. Ao fundo, é possível identificar uma foto do senador Flávio Bolsonaro, ao lado de um fuzil. 

“Eu e Silveira continuamos muito alinhados, tomando decisões em conjunto. Nunca nos arrependemos do gesto, mesmo criticado, porque sempre deixamos claro que a nossa questão era com o Psol, que explorava e ainda explora esse episódio lamentável do assassinato covarde da vereadora. Nosso gesto foi de restauração da ordem e está mais do que provado que, para as mulheres, a ordem é preferível ao caos”, alegou o deputado. 

Daniel Silveira foi preso em fevereiro de 2021 por ataques ao Supremo Tribunal Federal. Ainda preso, se filiou ao PTB, partido de Roberto Jefferson, para tentar uma vaga no Senado. Silveira teria recebido um áudio de apoio a sua candidatura do presidente Jair Bolsonaro. 

Na época do ato, o senador Flávio Bolsonaro se alinhou à dupla, afirmando que a retirada da placa tinha como objetivo “reestabelecer a ordem”, alegando que a placa poderia causar desorientação na cidade. 

Na foto tirada em 2018 também estava presente Wilson Witzel (PSC), governador cassado do Rio de Janeiro em 2021 por suspeitas de corrupção. Após ter sido eleito, Witzel se desculpou pelo ato. 

ENTENDA MAIS SOBRE: , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar