CartaExpressa

Dino confirma ida ao PSB e reforça apoio a Lula em 2022

Dino confirma ida ao PSB e reforça apoio a Lula em 2022

'Defendo a ideia da ampliação ao máximo que for possível. Derrotar o bolsonarismo não é tarefa simples', disse

Lula e Dino.  Foto: Ricardo Stuckert

Lula e Dino. Foto: Ricardo Stuckert

O governador do Maranhão, Flávio Dino, confirmou que o seu destino após deixar o PCdoB é mesmo o PSB.O objetivo, segundo comunista, é a formação de uma frente ampla para derrotar o bolsonarismo em 2022.

Em entrevista ao Valor Econômico, o governador reiterou o apoio a Lula na eleição presidencial e disse esperar que o partido “caminhe mais alinhado com isso”.

“Tenho atuado no sentido de defender a união da esquerda, de ter menos belicismo no nosso campo, como por exemplo na relação com o PDT. Defendo a ideia da ampliação ao máximo que for possível. Derrotar o bolsonarismo não é tarefa simples e não é tarefa que pode ser negligenciada, porque é uma eleição vital para o País”, declarou.

“Não coloquei como condicionante no debate com o PSB o apoio a candidato A, B ou C. Tenho que respeitar as decisões majoritárias. Mas, politicamente, não é segredo o meu apoio à liderança política do ex-presidente Lula. Defendo abertamente, desde sempre. Continuarei a ser defensor dessa liderança de Lula e espero que o PSB caminhe mais alinhado com isso”, acrescentou.

Na conversa, Dino confirmou que é pré-candidato ao Senado. “Minha posição no PSB vai ser de defesa de uma esquerda moderna, atualizada, esquerda ‘frentista’, que faz frente política com todos aqueles que têm convergência programática desde que tenha objetivos em comum. Não é identidade programática total. Se for identidade programática total não é aliança, é o mesmo partido”, afirma.

 

Junte-se ao grupo de CartaCapital no Telegram

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem