CartaExpressa

Câmara aprova projeto para compensar estados por perdas com ICMS de combustíveis

A proposta segue para o Senado. O objetivo é recompor os cortes de arrecadação impostos com a política de Jair Bolsonaro

O líder do PT na Câmara, Zeca Dirceu. Foto: Bruno Spada/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

A Câmara dos Deputados aprovou nesta quinta-feira 14 um projeto de lei complementar a viabilizar a compensação de 27 bilhões de reais da União para estados e o Distrito Federal. A proposta segue para o Senado.

O objetivo é recompor as perdas de arrecadação impostas com a política do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) de barateamento dos combustíveis, a partir do corte do ICMS.

A matéria foi aprovada sob a relatoria do deputado Zeca Dirceu (PT-PR) e prevê, também, transferências ao Fundo de Participação dos Municípios e ao Fundo de Participação dos Estados para recuperar perdas em relação a 2022.

O projeto, encaminhado pelo Poder Executivo, resultou de um acordo entre a União e os estados após alguns deles conquistarem liminares no Supremo Tribunal Federal para receber compensações maiores que as previstas na Lei Complementar 194/22.

Essa lei considerou os combustíveis, o gás natural, a energia elétrica, as comunicações e o transporte coletivo  como bens e serviços essenciais, proibindo a aplicação de alíquotas superiores ao índice padrão do ICMS (17% ou 18%). O acordo se refere somente às perdas do ICMS na venda de combustíveis.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar