CartaExpressa,Política

Bolsonaro minimiza seus ataques a instituições: ‘Sempre buscamos culpar alguém pelo nosso insucesso’

Bolsonaro minimiza seus ataques a instituições: ‘Sempre buscamos culpar alguém pelo nosso insucesso’

Em comemoração aos mil dias de governo, Bolsonaro afirmou mais uma vez não saber como exatamente chegou ao cargo de presidente da República

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Em evento de comemoração aos mil dias de governo, nesta terça-feira 28  Jair Bolsonaro afirmou que suas críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal foram uma tentativa de ‘responsabilizar alguém’ pelo ‘insucesso’ do governo.

“Sempre buscamos responsabilizar alguém pelo nosso insucesso. Isso é comum no meio do nosso povo. Isso também já fez parte da minha vida no passado”, afirmou, sem mencionar nomes.

Bolsonaro disse, contudo, que postura teria ficado no ‘passado’ e que novas críticas devem ser feitas apenas com ‘fundamento’ e ‘razão’. “E eu peguei outra passagem bíblica – por falta de conhecimento, meu povo pereceu. Nós devemos criticar quem quer que seja, deputado, senador, presidente ou ministro, mas criticar com fundamento e com razão.”

Antes, responsabilizou a pandemia e governadores pela péssima situação econômica pela qual atravessa o Brasil. Segundo disse, teve que ‘enfrentar governadores’ para combater as consequências do lockdown.

“Às vezes me pergunto como chegamos até aqui, como estamos sobrevivendo, como estamos nos comportando ainda durante uma difícil fase da pandemia, com consequências terríveis, não só para o Brasil, bem como em todo o mundo. Como consequência temos uma inflação alta, em especial nos gêneros alimentícios, isso no mundo todo”, explicou, procurando se isentar da responsabilidade sobre a economia brasileira.

No discurso, o ex-capitão também afirmou diversas vezes não saber como exatamente chegou ao cargo de presidente da República.

“Jamais esperava estar na situação em que me encontro no momento. Sobrevivendo a uma tentativa de assassinato e se elegendo num pequeno partido do Brasil. Só Deus explica o que aconteceu comigo”, disse aos apoiadores.

Mais adiante, novamente evocou Deus para ‘explicar’ a sua eleição.

“Por muitas vezes eu olho no espelho e me pergunto: Quem sou eu? Da onde vim? Como cheguei até aqui? Pra onde vou? São perguntas que não temos respostas. A não ser quando se olha pra mim e fala ‘foi obra do nosso Deus’”, acrescentou ao discurso.

Responda nossa pesquisa e nos ajude a entender o que nossos leitores esperam de CartaCapital

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Repórter do site de CartaCapital

Compartilhar postagem