CartaExpressa

Bivar muda o tom sobre manter comando do Ministério do Turismo em caso de desfiliação de Daniela

Desligamento da ministra do Turismo do União Brasil será analisado nesta quarta-feira

Luciano Bivar. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Apoie Siga-nos no

O presidente do União Brasil, Luciano Bivar, mudou drasticamente o tom sobre manter ou não o comando do Ministério do Turismo em caso de desfiliação de Daniela Carneiro da sua legenda. Segundo defendeu em entrevista ao site Metrópoles publicada nesta quarta-feira 26, a pasta é do governo, que tem o direito de escolher quem Lula (PT) quiser para o posto.

“O ministério é do governo, é do PT, que é o governo eleito. Ele entrega o ministério a quem ele quiser. Não tem isso de nós reivindicarmos. Não tenho nenhuma autoridade nem direito de reivindicar isso ou aquilo”, disse Bivar ao site.

Em conversa recente com CartaCapital, porém, o presidente do União Brasil havia sinalizado que, na sua visão, a indicação deveria ser do partido e que a pasta não seria ‘da pessoa física’ Daniela, que busca na Justiça se desligar da legenda. Ela alega – com outros deputados do Rio – ter sofrido assédio por parte da cúpula. O caso será discutido pelo União nesta quarta.

A mesma avaliação foi compartilhada por ele também ao jornal O Globo há pouco mais de 15 dias. Nos dois casos, Bivar avaliou que a cadeira, apesar de pertencer ao governo, se tratava de um acordo com o União Brasil. Dessa vez, disse que não irá exigir que Lula mantenha o acerto.

A legenda, vale lembrar, comanda o Turismo, as Comunicações e, indiretamente, a Integração e Desenvolvimento Regional. Ainda assim, tem se posicionado de forma ‘independente’ no Congresso. A não entrada oficial na base do governo incomoda aliados e outros partidos que pleiteiam postos no Planalto.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor…

O bolsonarismo perdeu a batalha das urnas, mas não está morto.

Diante de um país tão dividido e arrasado, é preciso centrar esforços em uma reconstrução.

Seu apoio, leitor, será ainda mais fundamental.

Se você valoriza o bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando por um novo Brasil.

Assine a edição semanal da revista;

Ou contribua, com o quanto puder.