CartaExpressa,Política

Após se filiar ao PSL, Datena critica fusão com o DEM

Após se filiar ao PSL, Datena critica fusão com o DEM

O apresentador José Luiz Datena (PSL) desqualificou dois dos seus possíveis adversários na disputa presidencial de 2022: Mandetta e Pacheco

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O apresentador José Luiz Datena (PSL) desqualificou dois dos seus possíveis adversários na disputa presidencial de 2022. De acordo com o jornalista,  ele não perderia nem para o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) e nem para o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

“Duvido que eu perca para o Pacheco e para o Mandetta em termos de pesquisa. Em pesquisa séria, eu não perderia nem para o Pacheco nem para o Mandetta”, afirmou ao UOL.

Os partidos de Datena e dos dois adversários caminham para uma fusão. Na terça-feira 28, o PSL autorizou a convocação de uma convenção nacional com o DEM para deliberar sobre a união das siglas.

A junção, no entanto, já provoca rusgas antes de acontecer. “Mandetta está falando toda hora como candidato. O Pacheco está na dele. Mas o Mandetta fica se lançando como candidato. Eu, sinceramente, não vejo com potencial, apesar de respeitar o Mandetta e o partido dele”, disse Datena.”Agora, talvez um partido só, eu não vejo o Mandetta como potencial nem à quarta via, quanto mais à terceira via”.

“Não me atrai muito essa fusão. E, pelo jeito, eles não vão cumprir com o acordo de que, baseado em pesquisa técnica, lançariam o candidato”, acrescentou o comunicador. “O meu ponto de fusão é diferente do deles. Eu, para me tornar gasoso em dois segundos, desapareço e evaporo. A responsabilidade toda é deles. Os caras que me convidaram, que me lançaram candidato a presidente da República. A responsabilidade é deles, não é minha.”

 

 

Um minuto, por favor...

Obrigado por ter chegado até aqui. Combater a desinformação, as mentiras e os ataques às instituições custa tempo e dinheiro. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se você acredita no nosso trabalho, junte-se a nós. Apoie, da maneira que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo integral de CartaCapital!

Compartilhar postagem