CartaExpressa

Apoio de Bolsonaro tira votos de Milei, diz CEO de instituto que acertou 1º turno na Argentina

Um levantamento AtlasIntel publicado em 11 de outubro indicava Sergio Massa na liderança

Javier Milei e Eduardo Bolsonaro. Foto: Reprodução/Redes Sociais
Apoie Siga-nos no

O diretor-executivo da AtlasIntel, Andrei Roman, afirmou nesta segunda-feira 23 que o apoio de Jair Bolsonaro (PL) ao ultradireitista Javier Milei, candidato à Presidência da Argentina, “tira votos”.

O postulante do partido La Libertad Avanza terminou o primeiro turno em segundo lugar, seis pontos atrás do peronista Sergio Massa, do Unión por La Patria.

“Vamos adicionar essa pergunta na próxima pesquisa para testar a imagem do ex-presidente na Argentina”, disse Roman em entrevista ao jornal O Globo. Segundo ele, não há apoio majoritário ao ex-capitão nem ao presidente Lula (PT) entre os argentinos.

Roman ainda declarou que “a pauta armamentista é rejeitada no país”, em referência ao fato de uma entrevista do deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) à TV argentina C5N ter sido interrompida no domingo, enquanto ele defendia a flexibilização do acesso a armas.

A maioria das pesquisas de intenção de voto na Argentina apontava Milei na liderança, mas um levantamento AtlasIntel publicado em 11 de outubro indicava Massa em primeiro, com cinco pontos de vantagem sobre o ultradireitista.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar