CartaExpressa

A última pesquisa sobre a eleição no Rio antes da operação da PF contra Ramagem

O pré-candidato bolsonarista já enfrentava um cenário adverso na disputa contra o prefeito Eduardo Paes (PSD)

O deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ). Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados
Apoie Siga-nos no

O deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ), pré-candidato à prefeitura do Rio de Janeiro, foi alvo de uma operação da Polícia Federal nesta quinta-feira 25. A investigação mira uma suposta organização criminosa instalada na Agência Brasileira de Inteligência, órgão chefiado pelo bolsonarista entre julho de 2019 e abril de 2022.

O esquema serviria para monitorar desafetos do governo de Jair Bolsonaro (PL), por meio de ferramentas de geolocalização de dispositivos móveis – sem autorização judicial.

As próximas pesquisas de intenção de voto demonstrarão se a ação da PF teve algum impacto – positivo ou negativo – sobre a candidatura de Ramagem. Ele, porém, já tinha um horizonte adverso, segundo um levantamento Atlas Intel divulgado em 31 de dezembro.

O prefeito e candidato à reeleição, Eduardo Paes (PSD), aparece com larga vantagem na liderança: 36,2%, ante 19,1% de Ramagem, o segundo colocado, e 17,8% de Tarcísio Motta (PSOL), tecnicamente empatado com o postulante do PL.

Completam a lista Otoni de Paula (MDB), com 6,9%, e Pedro Duarte (Novo), com 2,5%. Brancos e nulos somam 11,3%, enquanto 6,1% não sabem ou não responderam.

O Atlas Intel entrevistou 800 eleitores do Rio por meio de Recrutamento Digital Aleatório entre 25 e 30 de dezembro. A margem de erro é de 3 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Relacionadas

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Os Brasis divididos pelo bolsonarismo vivem, pensam e se informam em universos paralelos. A vitória de Lula nos dá, finalmente, perspectivas de retomada da vida em um país minimamente normal. Essa reconstrução, porém, será difícil e demorada. E seu apoio, leitor, é ainda mais fundamental.

Portanto, se você é daqueles brasileiros que ainda valorizam e acreditam no bom jornalismo, ajude CartaCapital a seguir lutando. Contribua com o quanto puder.

Quero apoiar