CartaCapital

assine e leia

Neymar/ Náufrago da bola

Passageiros do cruzeiro “Ney em Alto-Mar” entraram pelo cano

O marujo fez o que pôde... – Imagem: Redes sociais
Apoie Siga-nos no

A promessa dos organizadores do cruzeiro era oferecer “72 horas de ousadia e alegria a bordo com um dos maiores ídolos do futebol”, mas a aventura marítima com Neymar, atacante do clube saudita Al-Hilal e da Seleção Brasileira, coleciona reclamações de passageiros: goteiras no navio, festas impróprias para menores, fãs esnobados, comida ruim e denúncias de assédio.

Para desfrutar o cruzeiro “Ney em Alto-Mar” era preciso desembolsar ao menos 4,7 mil reais, o preço da cabine mais barata – interna, quádrupla e sem janelas. Opções menos claustrofóbicas foram vendidas por até 30 mil reais. Apesar do preço salgado, o café da manhã deixava a desejar até mesmo na comparação com pousadas populares. “Estou comendo pão com manteiga e café com leite”, lamentou a empresária da moda Vannini, que também se incomodou com a presença de crianças nas permissivas festas do navio. “Deveria ter sido estabelecido limite de idade para a venda das cabines, tipo hotel adults only”, sugeriu a passageira, a bordo com o filho pequeno.

ENTENDA MAIS SOBRE: , , , , , ,

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Apoie o jornalismo que chama as coisas pelo nome

Depois de anos bicudos, voltamos a um Brasil minimamente normal. Este novo normal, contudo, segue repleto de incertezas. A ameaça bolsonarista persiste e os apetites do mercado e do Congresso continuam a pressionar o governo. Lá fora, o avanço global da extrema-direita e a brutalidade em Gaza e na Ucrânia arriscam implodir os frágeis alicerces da governança mundial.
CartaCapital não tem o apoio de bancos e fundações. Sobrevive, unicamente, da venda de anúncios e projetos e das contribuições de seus leitores. E seu apoio, leitor, é cada vez mais fundamental.
Não deixe a Carta parar. Se você valoriza o bom jornalismo, nos ajude a seguir lutando. Assine a edição semanal da revista ou contribua com o quanto puder.

Leia também

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo