CartaCapital

Jovem negro preso por 10g de maconha morre em presídio por coronavírus

Lucas Morais da Trindade teve três habeas corpus negados pelo TJMG

Apoie Siga-nos no

Um jovem negro de 28 anos, que foi preso em 2018 por portar menos de 10g de maconha, morreu no último sábado 4 vítima do coronavírus em Manhumirim, no interior de Minas Gerais.

Lucas Morais da Trindade foi preso em flagrante em 2018 por porte de drogas. Em primeira instância, o jovem foi condenado a 5 anos e 4 meses de reclusão. A defesa do mineiro então entrou com três recursos no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), mas todos foram negados.

A decisão do TJMG vai contra uma resolução divulgada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) sobre prisões durante a pandemia. O texto sugere, entre outras coisas, a reavaliação de prisões provisórias e preventivas que resultem de crimes menos graves, além de indicar que novas ordens de prisão devem respeitar a “máxima excepcionalidade”.

Segundo a Sejusp, no sábado, Lucas desmaiou na cela e foi encaminhado desacordado para atendimento no hospital Padre Júlio Maria, onde morreu.

Inicialmente, disseram aos familiares que a causa era infarto, mas no atestado de óbito veio o resultado positivo para a covid-19.

Segundo o CNJ, de maio para junho, houve um aumento de 800% nos casos de covid-19 nos presídios. O advogado de Lucas, Felipe de Oliveira Peixoto, informou que o recurso do jovem seria julgado pelo TJMJ no dia 30 deste mês. A família estuda processar o Estado pelo ocorrido.

Parentes de detentos que cumprem pena no sistema penitenciário de Manhumirim cobram transparência sobre o estado de saúde dos presos, depois da morte de Lucas.

De acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), o presídio de Manhumirim tem 159 presos confirmados com a doença.

Alexandre Putti

Alexandre Putti
Repórter do site de CartaCapital

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.

Jornalismo crítico e inteligente. Todos os dias, no seu e-mail

Assine nossa newsletter

Assine nossa newsletter e receba um boletim matinal exclusivo

Um minuto, por favor...

Apoiar o bom jornalismo nunca foi tão importante

Obrigado por ter chegado até aqui. Nós, da CartaCapital, temos o compromisso diário de levar até os leitores um jornalismo crítico, que chama as coisas pelo nome. E sempre alicerçado em dados e fontes confiáveis. Acreditamos que este seja o melhor antídoto contra as fake news e o extremismo que ameaçam a liberdade e a democracia.

Se este combate também é importante para você, junte-se a nós! Contribua, com o quanto que puder. Ou assine e tenha acesso ao conteúdo completo de CartaCapital.